"O tempo e espaço podem separar duas pessoas, mas nunca dois seres".-- Fábio Ibrahim El Khoury

Facebook

domingo, 25 de março de 2012

Brasil é o 4º país que mais usa água na produção de bens

Brasil é o 4º país que mais usa água na produção de bens! (Pense de novo)





O Brasil é o quarto país que mais usa água na produção de bens agrícolas e industriais, segundo estudo publicado na revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (PNAS). O país aparece atrás de China, Índia e EUA, que respondem por 38% do gasto mundial de água na produção de bens.

O estudo mediu a “pegada hídrica” do mundo, ou seja, o gasto de água de cada país na produção e no consumo de bens.
Para calcular o consumo, os pesquisadores também analisaram dados de comércio exterior. Assim, além do uso de água na agricultura brasileira, por exemplo, foram avaliadas as exportações agrícolas nacionais, que levariam consigo uma “exportação hídrica virtual”.

“O estudo mostra que diversos países dependem seriamente de recursos hídricos estrangeiros e que muitos têm impactos significativos no consumo de água e na poluição em outros lugares”, afirma a pesquisa.

Seguindo este raciocínio, o Brasil seria o quarto país que mais “exporta” água na forma de produtos. Novamente, ele aparece atrás de Estados Unidos, China e Índia. Juntos, os quatro países seriam responsáveis por mais da metade da exportação virtual de água do mundo.


Fonte: Pense de novo - facebook


.

sexta-feira, 23 de março de 2012

2012 - 14º Disco Solar e Bolon Yookte - Entrevista inédita com Leda Hofmeister

Pesquisadora especialista em códigos e Matemática revela pela 1ª vez informações inéditas!

A canalizadora, do 14º Disco Solar, Leda Hofmeister, especialista em decodificação e pesquisadora, comunica em entrevista inédita, que Bolon Yookte, se manifestou através de uma carta galáctica, inserida no Disco comunicante 14. Segundo Leda, seres da galáxia de Andrômeda, universo codificado por 13, liberaram um arquivo, propositadamente contido no nome BY.

Através de uma numerologia repassada a canal, os valores divulgados pela numerologia de aviso, em BY, se expressam fielmente na carta galáctica. O número 13, este também destinado ao 13º backtun, também faz a sua aparição duplamente na numerologia de BY. A aparição dupla é para lembrar o ano de 3113 a.C., ano em que teve inicio o último ciclo maia e fim do 13º baktun.




by May Gomes


.

terça-feira, 20 de março de 2012

Autoconhecimento: Vitimismo



Vitimismo
O vilão da sua vida
Por Dr. Mário Sabha Jr.


Dificilmente conseguimos perceber que nos fazemos de vítima nos vários setores de nossas vidas. Na grande maioria, agimos na postura imatura e infantil culpando as pessoas, a sociedade, os políticos, nossos familiares e nossos parceiros pelas nossas frustrações. Assim, nem sequer percebemos nossa responsabilidade ao criarmos as situações que vivemos.

Classifico como vitimismo toda postura passiva que adotamos ao não percebermos como contribuímos direta ou indiretamente para atrair em nossas vidas TODAS as situações que experienciamos. Mesmo que não estejamos tão conscientes de nossas atitudes, nós criamos todos os nossos sucessos e vitórias, igualmente também criamos todos os nossos sofrimentos e fracassos.

Ao escrever este texto, acredito que toda oportunidade seja válida para reformular conceitos, principalmente para aqueles que estão menos conscientes, pois toda leitura é um momento de reflexão, no sentido de agregar novas ideias. Assim, da mesma maneira que arrumamos nossos guarda-roupas em casa, podemos reordenar nossos "guarda-roupas" afetivo e psicoemocional. Você sabe que preço paga ao olhar para o mundo com vitimismo?

Como sempre, aprendemos a enxergar em nossa educação, na sociedade, que somos vítimas do ambiente, das doenças que podemos ter, da medicina que terá ou não solução para nossos problemas, da genética, dos políticos, do trânsito, enfim, das pessoas que encontramos diariamente.

Acreditamos que todos são ruins, maldosos e que nós somos ótimas pessoas. Veja isso nos comentários que fazemos:

"- Olha o que ele fez comigo!" (Está bravo, por vezes inconformado sem avaliar o que fez com o outro.)

"- Você me irrita!" (Sem perceber que você é que se irrita com tudo.)

"- Peguei uma doença do nada!" (Ssem entender que você não investiu em você quando precisava.)

"- As pessoas me machucaram.." (Sem entender como fui agressivo, e que as pessoas reagiram à minha energia agressiva.)

"- Eu me decepcionei com meu namorado!" (Sem perceber seu mimo, exigindo do outro tudo o que quer, na hora que quer, mesmo sem saber se o outro tem disponibilidade para oferecer, um desrespeito total ao tempo e ritmo do outro.)

"- Fui à casa da fulana e ela não me recebeu..." (Sem notar meu desrespeito em não aceitar ouvir um "NÃO", em não dar o direito de o outro não querer me receber naquele momento.)

"- Elegeram um político corrupto..." (Como se não pudéssemos observar que fazemos parte de um país em que todos querem levar vantagem, inclusive você!)

"- Roubaram meu carro, justo comigo!" (Veja como a invasão toma conta de você. Mesmo quando sua amiga lhe influenciou com uma simples crítica, você é que se deixou invadir, e da mesma forma um ladrão também o invadiu e o roubou...)

Poderíamos citar vários outros exemplos nos quais suas atitudes "vitimistas" lhe fazem mal, mas as supracitadas estão de bom tamanho por hora. O importante é sabermos as consequências do vitimismo. Será que você sabe? Tem certeza? E o que seria o contrário dessa situação? Será que você teria maturidade para bancar uma situação mais madura emocionalmente? Vejamos...

Na posição de vítima, nunca temos o poder de modificar nada em nossas vidas, nem nossa situação econômica, nem nossos relacionamentos sociais, nem nossas questões afetivas, conjugais, sexuais, nem nossos aspectos profissionais, ou até espirituais. A vítima tem que se conformar com o que tem, nunca tem voz ativa, é sempre dependente de alguém, sempre culpa as pessoas pela falta de sorte, pela falta de afeto, de carinho, atenção, e até por sua carência, pois a vítima não tem outra forma de enxergar o mundo senão culpando as pessoas pelos seus problemas. Um preço caro é ter que aguentar a vida em vez de aproveitá-la e participar dela. Por um lado, é mais fácil ser vítima (para aquelas pessoas que aprenderam a ser dependentes), pois de início parece que seu comodismo vai durar para sempre e que aquilo é um bem, mas, ao decorrer do tempo, a insatisfação, as frustrações e desilusões acabam mostrando a catástrofe trazida pelas dependências, e que a posição de vítima é o pior vilão da sociedade em que vivemos.

Por mais que seja trabalhoso, as pessoas mais maduras conseguem enxergar que têm uma responsabilidade grande por tudo o que vivem e atraem para suas vidas. Sabem que, se mereceram sucessos e vitórias, elas investiram para isso; por outro lado, sabem também que atraíram situações desfavoráveis para suas vidas, e que de nada adianta culpar os outros, mas responsabilizar-se com consciência. Por mais "trabalho" e contrariedades que possam haver, são corajosas para vencerem seus pontos fracos, como: seu mimo, seu orgulho, sua impulsividade, sua arrogância para aprender o que a vida quis lhes ensinar ao passar essas intempéries, e, em seguida, mudar suas atitudes. As pessoas maduras têm o PODER de mudar seu próprio mundo.

Querido leitor, obrigado pela oportunidade de reflexão em comunhão. Preste atenção e, com muito cuidado e honestidade consigo, responda como age na maior parte das vezes. Não está errado não ser responsável e não se bancar em tudo na vida, afinal não podemos exigir de nós mais do que podemos dar naquele momento, sendo que temos uma vida toda para isso. No entanto, o trabalho que fazemos em consultório visa à autorresponsabilidade sobre nossas vidas, o que garante um melhor convívio conosco e com as pessoas à nossa volta, a partir de uma nova visão.

Conte conosco e um abraço grande...


Sugerido por: Lê Kobus

domingo, 18 de março de 2012

2012: Comunicado da princesa do Japão Kaoru Nakamaru

Comunicado da princesa do Japão Kaoru Nakamaru como convidada especial da Pythagoras Conference Global 2012.

‎É bom saber que princesa Kaoru não é uma piadista. Pelo contrário, ela é neta do Imperador Meiji, tendo passado toda a sua infância no Castelo Proibido, na China. Fez mestrado na Columbia University, sendo também Jornalista e especialista em Politica Internacional. Teve contato com reis, presidentes, primeiros ministros e personalidades dos negócios de vários países do globo. Deu inúmeras palestras, escreveu livros e, na Televisão, atuou como comentarista de assuntos políticos internacionais. Reconhecida como alta personalidade pelos Newsweek e pelo Washington Post, Kaouru é um amante da paz e da fraternidade, tendo inclusive percorrido lugares marcados pelos conflitos de modo a tentar a conciliação - assim como o fez quando esteve com os ditadores Saddam Husseim e Muamar Khadafi. Portanto, as suas recentes revelações, devem ser seriamente encaradas.

(Se a legenda não carregar automaticamente, ative-a clicando em "CC" no canto direito do vídeo).